27 dezembro 2006

um homem inteiro.

jornal público:
'joão, o que te falta?'
j.p. simões:
'falta-me o que sempre me faltou - alegria.'

este curto diálogo, quase à queima-roupa, serve de mote à notícia sobre os primeiros concertos de apresentação do novo disco a solo de j.p.simões (ex-belle chase hotel; ex-quinteto tati; etc.). j.p. simões é um mestre da palavra certa e do sentimento certeiro. um homem lúcido e, como quase todos os homens lúcidos, um rapaz desencantado. um trovador moderno, alguém disse dele. a verve de rui reininho, sem o ácido sulfúrico e o surrealismo; a articulação de um antónio lobo antunes oral, sem aquele manto metafísico; o cinzel sempre pronto a esculpir em palavras a ideia exacta da forma exacta.

alegria. exactamente.

2 Comments:

Blogger Nuno Guronsan said...

Inquietação precisa-se. Muita.

Espero que o Natal tenha sido bom, Gi. Um abraço de inverno.

quarta-feira, dezembro 27, 2006 9:15:00 da tarde  
Blogger Gi said...

o natal foi um concentrado de vida: família, amigos, casualidades, o eterno e o interno feminino. palavras simples, sentimentos complexos. alguma procura de transcendência. céu azul dourado, nuvens passageiras ou talvez não. música matinal, crianças e idosos, finais de tarde. animais antigos à solta. memórias e projecções. pequenas supresas. missas do galo, cá fora; menino jesus, lá dentro. gigantes por revelar, segredos por confessar, palavras entaladas.

..qualquer coisa que eu devia perceber, qualquer coisa que está para acontecer.
(e essa coisa é que é linda).

foi bom, acho que sim. foi 'natal e não dezembro', como diria o david mourão-ferreira.

espero que o teu tenha sido natal-mesmo-natal.
obrigado pelo abraço de inverno (são os melhores).
um abraço.

quarta-feira, dezembro 27, 2006 9:40:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home