08 janeiro 2007

the year of magical thinking - an introduction

aviso: post não aconselhável a pessoas mais sensíveis.

encontrei ontem à venda as edições original e traduzida de um livro que descobri - como tantas outras coisas -, nas páginas do 'mil folhas': 'the year of magical thinking / o ano do pensamento mágico', de joan didion.

joan didion é uma conhecida e reputada escritora nova-iorquina, na casa dos sessentas, que viveu, entre final de Dezembro de 2003 e Abril de 2004, uma experiência limite. viu a sua filha ser internada com uma infecção muitíssimo grave e de prognóstico reservado; assistiu à morte do seu marido, de ataque cardíaco fulminante, à sua frente, em pleno jantar doméstico; confrontou-se com a morte da filha, poucos meses depois (quando a julgava francamente recuperada).

perante 'o instante em que tudo muda', perante a banalidade com que tudo muda, por entre a náusea e a fragilidade extremas, joan didion agarrou-se ao seu pensamento, à sua fome de entendimento, à observação minuciosa de si própria, a uma busca incessante de explicação. leu tudo sobre a morte e o luto, descobriu estudos clínicos em bibliotecas obscuras, procurou médicos e psicólogos, profissionais habituados a lidar com a morte (e com as implicações na vida dos sobreviventes).. o resultado desta procura compulsiva - em jeito de narrativa enxuta, despojada de sentimentalismo, por exemplo, latino - é um livro que nos interpela, um relato pessoal e pungente (e sempre inteligente, no sentido possível da palavra) de uma viagem por alguns dos abismos que mais tememos. e que instintivamente afastamos da nossa vida, o mais que podemos.

ainda estou a meio do livro. palpita-me que voltarei aqui para falar mais um bocadinho dele e da experiência que está a ser mergulhar a pique neste 'ano do pensamento mágico'.

como dizia uma personagem de um conto de flannery o'connor: 'sabe, é preciso um bocadinho de tudo para fazer o mundo'.

até dói.

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

apesar do aviso, li o post. e, por isso, vou ficar à espera de um bocadinho mais do teu mergulho.

terça-feira, janeiro 09, 2007 9:33:00 da manhã  
Anonymous Luis said...

Sobre a morte e o que ela arrasta, um livro simples mas tocante. "No Fio do Horizonte" (creio que é o título) do Drauzio Varela, um renomado oncologista e romancista brasileiro.
Se ainda houver força para mais "Morreste-me" do José Luis Peixoto. O mais belo livro sobre a falta!

terça-feira, janeiro 09, 2007 12:23:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home