07 janeiro 2009





quanto ao resto, o fantasma de tom joad ronda a nossa porta.

ele nunca morreu, nas páginas do livro de john steinbeck. ele nunca desapareceu dos negativos e bobines da película de john ford. ele nunca deixou de habitar a pele de henry fonda. tom joad era a américa dos perdedores dignos.

hoje, a américa continua, mais ainda, a ser o mundo. mas a dignidade é já uma palavra gasta e nada 'fashionable'.

cuidado, amigos, o fantasma de tom joad anda lá fora. por isso, se se cruzarem com ele, tratem-no bem. ele virá buscar o que é seu. ele acaba sempre por vir, não é? e vocês não vão querer olhá-lo nos olhos. porque ele pode muito bem serem vocês próprios. e o espelho mera cortesia da casa..

1 Comments:

Blogger andré garcia said...

este filme dói d tão bom k é, um must-see, FORD é um mestre, e aqui se vê porque, ele domina o tempo, a alma, a poesia, e tem um dos melhores actores do século ao seu serviço, um monsieur fonda divino...e a personagem do hemingway remete-nos para um tempo em que a integridade, honestidade, dignidade, valor, e afins valores morais e éticos eram sinónimo de americano. not anymore...podemos sempre rever este filmaço e chorarmos mto com tudo o que perdemos no entretanto...obrigado pelo post e adorei a tua foto...

quarta-feira, janeiro 14, 2009 12:55:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home