15 dezembro 2010


conta-se, nos mais intelectuais 'mentideros' do cinema europeu, que o polaco krzystof kiewslowski, esse assombroso cineasta moral, cogitava realizar uma tetralogia, iniciada com os filmes azul / branco / vermelho. quando a morte o surpreendeu, andaria às voltas com o argumento do quarto e último filme da série. alguns dos mais próximos colaboradores, lembram-se, e coincidem no testemunho, de que o cineasta procurava encontrar o melhor argumento que servisse o seu intuito de encerrar o ciclo da única forma que achava possível. do filme que nunca foi iniciado ficou apenas esta vaga memória e um título rabiscado no caderno de ideias que sempre acompanhava kiewslowski: 'preto'. preto, evidentemente.

1 Comments:

Blogger JB said...

Sim, sim, percebo-lhe a frase "preto, evidentemente".
Sabe, todas as fardas de marinheiro têm algo de preto, ao que parece em homenagem a Lorde Nelson. É o luto que se faz pelo brilhantismo. Que o "preto evidentemente" não siga o mesmo raciocínio.

quinta-feira, dezembro 16, 2010 9:36:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home